Uma aula que me deixou nas nuvens, uma amiga que nos deixou e foi pro c éu, uma noite que foi pro espaço

Três dias sem mensagens aqui e me sinto mal! Adorei ter um blog!

Hoje já é madrugada de segunda. Estou montando uma maquete de base de lançamento de foguetes para meu filho, já que ele veio com a "novidade" na sexta e fomos viajar. O bom de trabalhar com arte e artesanato é que cola, papel, arame e demais suprimentos não nos faltam! Enquanto pesquiso imagens, vou fazer um apanhado dos últimos dias:

Na SEXTA-FEIRA, dia 7 de abril, fui dar a aula na Pedaços. Antes passei na ScrapSampa para pegar uns papéis e vi, perto do caixa, uns metais da 7Gipsies que me deixaram de queixo caído! Maçanetas minúsculas, garfinhos, moldurinhas, visores de relógio... uma coisa! Acabei não resistindo e comprei 3 card holders pra eu poder colocar na capa de algum miniálbum ou caixinha pra mim. Paguei R$ 2,50 cada um. No site deles vi a US$ 2.95!

A aula foi bem legal, tive 5 alunas, 3 das quais eram amigas - e destas, duas nunca tinham feito nada de scrap! Mas nem pareceu, porque todo o medo do início - não sabiam usar a base de corte, tinham dificuldade com o estilete - sumiu em pouco tempo.

É interessante observar os variados perfis de alunas quando damos aula, e isso não se refere a essa aula apenas, mas já pude observar em várias ocasiões: quem nunca fez aula está ansioso e com medo. Tem medo de errar tudo. E normalmente se sai superbem, porque com medo, faz todos os passos cuidadosamente. Quem já fez aula muitas vezes diz 'já sei fazer" e se adianta nos passos, ou não ouve direito a explicação e deixa de aprender alguma dica nova que pode dar um melhor acabamento ao seu trabalho. Isso eu reparei na feira, quando ensinava encadernação: pensando "já saber" encadernar, algumas pessoas deixavam de fazer aquela dobrinha mínima com a dobradeira ou com a unha, e a capa não ficava com o acabamento esperado.
Outra reação comum é a aluna "desconfiar" da capacidade técnica da professora, afinal, ela nunca te viu e não conhece seu trabalho. Entra na aula com ar desconfiado, mesmo. Mal sorri. Segue os passos como se dissesse "tá, já fiz. E agora?".

Essas eu aprendi a adorar.

Porque, até o momento, não teve UMA que não tenha modificado sua expressão durante a aula. Entram desconfiadas, saem maravilhadas. Quer coisa melhor?

Na aula de sexta-feira uma delas, na hora do encaixe do papel na alça da lata, reclamou bastante (mas numa boa) sobre não fazer nenhuma questão de decorar lata de tinta, que as de achocolatados eram melhores, nem precisavam de alça - porque esta parte da decoração da lata exige um pouco de paciência, afinal a lata não foi feita para ser decorada, e a ferramenta que usei - um furador - não foi feito para a lata, mas tinha um furo de diâmetro bem proximo, e que daria um acabamento legal.

Essa reclamação aos poucos foi virando admiração, e no final da aula ela estava TÃO feliz com a lata, mas TÃO feliz, que não só elogiou o trabalho como levou papéis (e latas)para fazer mais duas em casa!!!

Este, na minha opinião, é o maior elogio que uma aula pode ter. Fui pra casa MUITO feliz.

No SÁBADO voltei à Pedaços bem cedinho, pois uma aluna de sexta-feira precisou sair antes da aula, sem acabar o projeto, então me propus a terminar com ela.

A aluna não chegava, mas chegou a Desirée. Foi ótimo, ficamos conversando um longo tempo. A maior coincidência é que o pai da Desirée foi chefe do meu marido, pode uma coisa dessas? Acho que eu nunca tinha tido oportunidade de conversar com ela tanto tempo, e foi ótimo. Espero que estas oportunidades se repitam!!!

Pouco tempo depois, chega a Lina!!! Eu estava com muitas saudades dela!!!! A Lina foi a primeira pessoa do SBB que eu conheci pessoalmente, e assim que nos vimos, a sensação foi a de que nos conhecíamos há muito tempo! Ela é um amor, sempre me ajudou e me incentivou muito. Foi ótimo revê-la!!

E depois, quem chega também?? A Bran!!! Ter acordado cedo tinha valido super a pena!!!

Ficamos no maior bate-papo, a Flávia da Pedaços também chegou e soubemos de novidades na feira(xi, essas não posso contar aqui, né?), produtos novos, aulas com a Flor Beck no estande da Pedaços.... a Hobbyarte pelo jeito promete!!!

Em seguida chegou a Fabiana da Projeto Artes! Conversamos bastante, e eu soube que elas estarão na Hobbyarte com estande da Projeto e tbm no estande da VSP - onde, aliás, eu as conheci na Hobbyarte do ano passado! O foco delas não será somente carimbos para scrap (papel), mas para tecidos, madeira... já pensaram que lindas umas camisetas carimbadas? E tênis para as crianças? Caixas? Eu amo carimbos!!!!

A ida à Pedaços foi ótima!

Cheguei em casa e logo recebi um telefonema da Dani Cretella, que supresa boa!!! Mas infelizmente a notícia não era tão boa quanto a surpresa...

A Dani ligou pra me contar que a Suênia havia falecido... ela estava já há mais de um ano com câncer. Mesmo com diagnóstico pouco esperançoso, ela continuou vivendo a sua vida da melhor forma: fazendo amigas, viajando para ver a família, fazendo scrap.

Segundo uma amiga bem próxima, o scrap estava salvando a vida dela. E em especial, as amizades que fez por conta do scrap. Embora participasse dos 3 fóruns de scrap no Brasil, foi no Scrapworks que ela sentiu-se mais em casa e onde atuou como moderadora. Nunca tive o prazer de conhecê-la pessoalmente ou ter sua amizade. Mas sempre soube de sua luta e sua determinação, sua simpatia e seu enorme coração, e por isso, eu a admirava. São pessoas deste porte que o mundo precisa: aquelas que embora sofrendo sempre nos dão palavras de esperança e ânimo.

Sei o quanto suas amigas estão tristes, e eu fico triste e emocionada cada vez que leio mensagens a seu respeito.

Que ela esteja em Paz, e que sua família tenha conforto nas boas lembranças que com certeza ela deixou. O que nos consola é saber que de alguma forma, o Scrapbook ajudou a Suenia a enfrentar este longo ano entre o diagnostico da doença e o dia de ontem.

Fiquei muito pensativa o resto do dia.

Quase anoitecendo, viajei. Na mala, base de corte, estilete, papéis e alguns trabalhos pra fazer.

Acordei muito tarde no DOMINGO. Não fiz nada além de descansar a cabeça e desacelerar. Foi ótimo, andei na areia um pouco, e na volta ao apartamento, fiz umas tags para uma troca do ScrapbookBrasil. Com calma, sem pressa... nossa, há quanto tempo não ficava assim???

Voltei a SP, cheguei aqui depois das 21h, os meninos dormindo no carro. Prometi a mim mesma que vou tentar ser menos acelerada. Vou tentar ser menos ansiosa. E depois que terminar esta maquete, vou tentar dormir mais cedo todos os dias!!!!

Ainda preciso descobrir em que ponto da base o foguete é lançado. No mapa do Kennedy Space Center, há um prédio (que está sendo feito com cartão mousse) e as torres de lançamento (talvez eu as faça de arame) ficam em plataformas sobre rodas (mais cartão mousse). Pergunta: as torres ficam ao lado do predio de cartão mousse quando o foguete de cartolina e tampa de desodorante é lançado ou vão pra bem longe, lá na ponta da base de MDF, perto do papel verde de scrap????