Chapbook Festival - mais um workshop de encadernacao

Sorry for the lack of information lately, but I'm under a new 'computer schedule" to keep up with some personal projects.
The Center for Book Arts in NY hosted a free workshop about Bookbinding for Writers, part of the Chapbook Festival, on April 24th. I went and loved to learn more about bookbinding. The teacher was the amazing Susan Mills and I really enjoyed being there!
Desculpem a falta de atualizacoes no blog, mas eu tive que regulamentar meus acessos ao computador para poder dar conta de uns projetos que venho adiando ha ANOS e resolvi tomar uma atitude.

Tenho muita coisa pra contar, mas vamos aos poucos... ate pq senao vcs cansam de ler! O post abaixo ja estava escrito aguardando somente eu fazer upload das fotos...

Eu nao desgrudo mais do blog e do site do Center for Book Arts de NY. Claro que fico babando nos descritivos de cursos, fico sonhando com eles... mas ao ver os precos a realidade me chama :D.
Mas o maior motivo de eu sempre acompanhar sao os eventos mais acessiveis, como o Lounge, que comentei no post anterior.
Nestas minhas visitas ao site descobri que haveria um tal de Festival do Chapbook. Nao sei exatamente o que chapbook significa, mas procurei informacoes e pelo que me parece, sao publicacoes mais acessiveis, com edicao mais barata.
Mas o que me chamou a atencao foi a palavra "workshop", hahaha... ando viciada.

A chamada dizia que o workshop era gratuito, com uma taxa de U$ 20 para material, necessitando inscricao previa. Havia 2 opcoes: "Bookbinding for Writers" e "Bookbinding for Publishers". Pedi informacoes e o primeiro seria mesmo sobre encadernacao e o segundo, de impressao. Me registrei para o primeiro. Comecaria as 2pm.
O curso foi em uma sexta-feira, dia 24 de abril. O dia estava lindo, quente, nem acreditei que pude sair de camiseta e uma jaqueta leve, sem pashmina, sem cachecol!

Cheguei na hora. A professora, Susan Mills, me parecia ansiosa. Aguardamos a chegada de mais incritos, eramos umas 15 pessoas no total. Ela distribuiu os kits de material e se apresentou. Ate entao eu nao tinha ideia do que fariamos - quer dizer, sabia que seria um livro de capa dura (hardcover)e um de capa mole (softcover, sao os termos usados mesmo), mas nao tinha visto os modelos.

Confesso que eu tambem estava ansiosa, principalmente pq julguei que no curso so estariam pessoas habituadas a encadernacao.

Ela comecou a pedir apresentacoes individuais. Uma pessoa veio da Suica para o evento (que teria tbm palestras, mas workshop ero so este mesmo); um senhor que parecia papai noel magro disse que era de NY e estava la pq amava livros; eu me apresentei dizendo que era do Brasil, morava aqui ha quase 2 anos e amava encadernacao. No resto da turma, muitos poetas, escritores ou poetas que estavam abrindo suas pequenas editoras. Achei curioso. So mais numa pessoa ja fazia encadernacao e disse que estava la para um "refresh".

Vimos varios livros antigos, papiros enrolados, encadernacoes diferentes... ela foi contando ao pouco sobre modelos diferentes de livros e seu papel na historia da evolucao da encadernacao.

Fomos para outra sala, pegar um pote de tinta de sumi-e (nanquim), um pincel grande e escrever uma palavra ocupando uma folha inteira de papel, no tamanho grafico. Valia qualquer palavra, qualquer idioma, desde que tocasse o papel nas quatro bordas. Deixamos secando.

Voltamos para as nossas mesas, e ela foi apresentando ferramentas: bone folder, awl... muita gente nao tinha nocao do que era aquilo - e eu conhecia todas elas. Fui me sentindo mais a vontade!!!:D

Ela tbm colocou uns papeis e "bookcloth" - o tecido da encadernacao - para escolhermos. Grudei no verde limao assim que vi, e escolhi este papel com florezinhas roxas para fazer o acabamento.
pelo contraste das duas cores, o verde com o roxo.

No kit que ela montou havia um pedaco de papelao cortado como um template. Eu nao tinha nocao do que era aquilo, mas ela logo explicou: era um "craddle", uma especie de "berco" (com cedilha) para voce apoiar as signatures na hora de furar - ajuda a furar bem no meio da dobra. Achei o maximo aquilo! Normalmente os encadermadores possuem um feito de madeira, custa caro, e ela fez de papelao, um para cada um dos alunos!


Um dia antes, nas minhas pesquisas na Internet, vi uma pessoa usando uma lista telefonica com o mesmo objetivo. Fui la e perguntei pra professora se dava certo, ela disse que tbm era possivel, sim.

Tambem recebemos um livreto com enderecos onde encontrar materiais e produtos para encadernacao. Furamos as signatures, voltamos pra sala do papel pintado para pintarmos outra palavra do avesso e voltamos pra comecar a montagem da capa dura.

Qdo ela foi ensinar a dar o no na signature, demorou uns 10 minutos so falando do no! Depois, comentou que pra chegar no ponto que estavamos (a capa dura), no curso de encadernacao regular isso leva normalmente 2 semanas.

Eu estava me sentindo no paraiso :D. E a sensacao de que poucas pessoas la haviam feito encadernacao antes foi aumentando. Muitas perguntas basicas ... e eu estava com medo de ser a mais crua por la! O bom das perguntas dos outros eh que pude confirmar muito do que eu ja sabia tambem.
foto via Flickr centerforbookarts - Olha eu la atras!

Ela veio conversar comigo, perguntar se eu gostava daqui, se eu fazia encadernacao .... Comentei que eu adoraria fazer um curso no CBA mas nao tinha como no momento, ela disse "mas um dia vc faz". O que acho otimo eh que aqui nao te olham com cara de pena, ou pior - desprezo, como infelizmente presenciei inumeras vezes no Brasil - , e dizer que eu nao poderia pagar o curso la nao me fez me sentir nada mal.

Aprendi uma forma diferente de encadernar, e com ela, dicas otimas tbm. Ela ia intercalando informacoes sobre o passo que deveriamos seguir com um pouco de teoria - logicamente, beeem superficial, mas como eu ja sabia e leio muito sobre o assunto, consegui entender as explicacoes, mas nao sei se todo mundo entendia. Ela lembrava a todos que aquele era um curso rapido. Eu aproveitava e ia perguntando tudo que podia, e ela chegou a usar umas duas perguntas minhas pra explicar algo pra sala toda, pois eram "boas perguntas".


Ao final da capa dura coberta pelo bookcloth, fomos gravar uma imagem em hot stamping na capa. Eu escolhi nao colocar nenhuma cor, gosto mais assim mesmo, mas a maioria usou o classico dourado. Nos mesmos operamos a maquina de hot stamping, com o auxilio do tecnico.
Aqui ele explica a operacao toda

Uma aluna posicionando seu livro e o filme dourado.

Com uma alavanca descemos o cabecote de gravacao (eh relativamente pesada)

O filme gravado.

Retirando o filme...Tcha-ra!! A imagem fica gravada!

Aqui a minha capa, sem filme, somente com o baixo relevo.

A montagem da signature na capa eh mais detalhada, tambem com dicas e truques, e a minha saiu perfeitinha! AMEI!

Nao cansava de olhar pro meu livrinho... colocamos cada exemplar sob um peso, para que ele secasse sem empenar (o peso sao tijolos encapados!)

Fomos pra sala do papel pintado, onde ela orientou que cortassemos a folha com o bone folder ate que ficasse do tamanho de um livro.

Colocamos uma capa mole, e este livro ficou bem rustico. Depois, pediu que escrevessemos nas paginas, uma palavra por pagina.

Ela disse que temos que parar de ver os livros somente como suporte do texto, mas como parte da obra toda. Entao, nos sabiamos que cada uma daquelas paginas possuia parte de uma palavra maior (a que pintamos antes!), e os desenhos e padroes formados pela palavra em cada uma das paginas - cortada, claro, ja que a folha toda virou um livro so - poderiam ser aproveitados na composicao do "livro", do conteudo. Achei uma visao interessante!

As ferramentas foram devolvidas, logicamente, mas o craddle, os clips e ate a cola nos pudemos trazer pra casa. Achei legal que ela disse do craddle: "assim vcs podem mostrar para os outros que usaram algo legal na aula" :D. Simpatico!

As pessoas sairam empolgadissimas da aula... mesmo as que erraram na colagem do papel , que cortaram os cantos (o que exigiria, segundo a Susan, uma "aula rapida de restauracao de livros" - claro que ela disse brincando, mas eram as dicas e ajuda dela para a correcao dos erros), e a maior ia passou na lojinha do CBA pra comprar a dobradeira e o awl.

Foi otimo, delicioso, proveitoso e incrivel. Voces nem imaginam como eu fico feliz de ter descoberto estas oportunidades acessiveis de cursos no CBA, e enqto eu estiver por aqui quero aproveita-las ao maximo!!

Agora, ando louca pra achar bookcloth nestas cores vivas, como a do meu livrinho - que na minha modesta opiniao, ficou bem feito, com cantos perfeitos, capa retinha sem empenar... algumas fotos que fiz depois em casa:


Bjs e obrigadao pela visita!!!!

............................

EDITADO:

recebi algumas perguntas nos comentarios, e vou responde-las aqui, assim o post fica mais claro para algumas pessoas:

O que eh bookcloth?

Bookcloth eh a palavra em ingles para "tecido de encadernacao", ou "tecido de livro". Ele difere dos tecidos comuns - e de tecido de forracao - por ser um tecido ja "forrado" com uma especie de "papel manteiga" no seu avesso. Esse eh o maior diferencial que pude perceber neste tecido que usei.

Ele nao tem o aspecto de "engomado", pois ele eh um tecido relativamente fino e bem maleavel. Eh somente a presenca deste papel que o deixa impermeavel internamente, ou seja, impermeavel a cola que vc aplica na hora de encadernar.

Existem variados tipos de 'bookcloth", e um que eu ja havia ouvido falar era o Cialux, mas existem outros, de variadas marcas, qualidades e procedencias. Num curso seguinte (que ainda nao postei) usei um que parece ate plastificado. Em SP duas empresas que vendem material de encadernacao sao a Encadernadora Kristina e a Operacao Papel (veja recvestimentos).

No ScrapStudio, no curso online de agenda, a Carol ensina a "empapelar" seu tecido. Elas tambem vendem tecidos de encadernacao. E eu ja dei aula de encadernacao onde o papel eh colocado na capa antes do tecido (conforme aprendi com Daniella Zambelli, da Mania de Photo), e estou montando um curso online onde uso esta tecnica tambem.

O que sao craddle e awl?

Craddle eh a palavra em ingles para berco. No post eu coloquei a foto do craddle feito de papelao. Como explicado, a funcao dele eh apoiar as paginas do livro abertas para que vc consiga fura-las bem na dobra. Na falta do craddle, uma opcao eh vc usar uma lista telefonica aberta, e sobre a abertura dela (que fica em "V") apoiar as paginas para fura-las.

Awl eh como uma grande agulha com um "cabo". Eh a ferramenta que vc usa para efetivamente fazer os furos nas paginas do livro, para depois costura-las. No Brasil sei que vc encontra awls na Casa do Restaurador. Quando voce faz a furacao das pagians, a pressao da pagina contra a agulha eh alta. Usando apenas uma agulha comum, ou vc se machuca ou nao consegue exercer a forca necessaria. Pra quem quer fazer encadernacao costurada, eh uma ferramenta imprescindivel ate para sua propria seguranca.