Loving a book

I'm totally crazy about bookbinding. I'd love to attend some classes at The Center for Book Arts, in Manhattan, but they are beyond my po$$ibilities right now :o). Following their blog I've found out they are hosting some workshops at a very affordable price - in fact, a suggested fee - once a month . All materials included. On February 13th the workshop was "Loving the page". I went with my friend Sandra and learned how to make a book with stitched spine. I totally loved it and recommend for anyone who loves bookbinding. On April 17th the workshop will be "Coptic Craze: Stitch like an Egyptian". I'll, be there!! Below, some pictures from their Flickr and some mine.

Eu tenho uma paixao enorme por encadernacao. Sempre que pude fiz cursos presenciais ou online, com as tecnicas aprendidas tentei criar algo diferente, li varios livros, investi em apostilas, materiais, e nao me canso de sempre pesquisar. Ate aula eu dou :D

Adoraria fazer um - ou mais de um - curso no The Center for Book Arts, uma escola de encadernacao em Nova York pra quem realmente quer se profissionalizar, mas infelizmente, ate pelo nivel dos cursos e equipamentos da escola, sao muito caros para mim. As opcoes sao de encher os olhos...

Mesmo sabendo da minha impossibilidade de frequentar estes cursos - afinal, U$500 sao U$500, com ou sem cambio favoravel... e isso so para um curso - nao canso de visitar a pagina deles na Internet e o blog. E valeu a pena: descobri que eles inauguraram em janeiro um espaco mensal, chamado "The Lounge".

Por um valor bem acessivel, uma vez ao mes eles oferecem no espaco do CBA um workshop "livre", sem necessidade de pre-inscricao, cujo tema eh determinado por eles: entre as 6pm ate 9pm do dia marcado, basta chegar e executar o projeto ou a tecnica do dia. O material esta todo incluido.

A primeira sessao foi marmorizacao de papeis, mas nao consegui ir. E sexta retrasada, dia 13 de marco tbm nao deu, pois eu tinha um aniversario que nao daria pra faltar.

Mas dia 13 de fevereiro eu fui. O tema era "Loving the page". No descritivo dizia que iriamos usar carimbos de batata, fariamos hai-kais e decorariamos um livrinho... sem ter certeza do que aconteceria ali, combinei com a Sandra de me encontrar com ela direto no CBA.

O CBA fica no Chelsea, entre a Broadway e a 6th Av., perto do Fashion Institute of Technology, no 3o. andar da 27th St - uma rua que, a noite, nao eh das mais glamurosas. Cheguei pouco depois das 6:30pm, toquei a campainha e logo entrei.

Subindo as escadas senti um cheiro marcante de tinta serigrafica - lembrei quando fiz um curso de serigrafia quando ainda tinha uns 16 anos!

O espaco eh amplo, e bem estilo oficina: meio caotico. Maquinas, prensas, guilhotinas gigantes, papeis e poesias pregadas em paredes e murais, esculturas em papel, tudo misturado.

Encontrei a Sandra, penduramos nossos casacos, pagamos a taxa sugerida e fomos para a area do workshop - 3 amplas mesas altas, sem cadeiras, ao redor das quais varias pessoas - so mulheres - ja estavam em producao. Coincidentemente, fomos recepcionadas por uma brasileira simpatica, que apesar de falar bem o portugues, fez questao de explicar tudo pra gente em ingles, pois, segundo ela, ja "havia decorado o script". Ela nos mostrou o livrinho que fariamos.... com costura aparente!!! Adorei logo de cara.

Por nao ser um curso formal, tudo era muito livre demais, o que me deixa as vezes perdida. Nao que eu tenha que seguir um passo a passo detalhado, mas gosto de saber ao menos o objetivo daquela atividade, assim eu posso me organizar a minha maneira.

Em uma primeira mesa havia uma maquina de escrever, papeis e caixinhas com palavras de uma, duas e tres silabas. Nem usei as tais caixinhas, mas era para voce fazer seus hai-kais (aqui, chamados de hai-kus), pois eles seriam parte do seu livrinho. Foto via Flickr, centerofbookarts - A Sandra esta a direita, de blusa verde-limao. Eu estou de preto, ao lado dela. Estamos tentando descobrir o que vamos fazer com a maquina, os hai-kus e uns adesivos de letras. :o)

Lembrei uma frase que gosto e fui la, tentar escrever na maquina que mal tinha fita, estava toda torta e mal regulada. Mas o som do "tec tec tec" compensou!
Foto via Flickr, centerofbookarts - A Sandra se divertindo na maquina. So aparecem meus bracos, em frente a ela, segurando os papeis em branco sem saber ainda o que eu faria neles!:o)

O engracado era notar as pessoas mais novas sem saber o que fazer com a maquina... era a grande prova da idade de cada um, hehe... Eu usei tanto maquina de escrever na minha vida... computador, so mesmo DEPOIS da faculdade.

De la, parti para uma "estacao" de carimbo de batata. Havia batatas - claro - e tubos e tubos de tintas acrilicas. Resolvi "entalhar' um passarinho na minha batata. A aflicao eh que a batata vai soltando agua, e com papel, ja viu... achei a coisa meio melequenta demais, mas fiz meu passarinho. Para passar a tinta na batata nao havia NADA. Vestida com uma malha de la, resolvi que enfiar o dedo na tinta nao seria a melhor ideia, e enrolei um pedaco de papel para fazer as vezes de espatula. Carimbei o tal do passarinho.

Foto via Flickr, centerofbookarts - Aqui, meu carimbo em primeiro plano e a Sandra atras, fazendo transferencia de imagem.

Esta eh a carimbada melequenta...

Depois, desenhos com giz de cera e uma transferencia de xerox para o papel com caneta a base de solvente (amei fazer!)

Foto via Flickr, centerofbookarts - La atras, a direita, de costas e de preto... eu, eu! Fazendo a transferencia de imagem.

Enfim... a ultima estacao, montar o livro em si!!!

Todos os passos anteriores, para mim, poderiam ter sido pulados, pois tratavam-se apenas de decoracao de paginas, com os tais carimbos e textos mal datilografados, mas sem muita estrutura e planejamento, meio de qualquer jeito.... Pra mim, a graca maior estava ali, a minha frente, na forma de um pedaco de couro, uma longa tira de papel encorpado, linha, agulha, um bloco de cera e uma dobradeira. Era a hora de fazer tudo isso virar um livro.

Foto via Flickr, centerofbookarts - Olha ai eu, toda concentrada em montar meu livrinho, junto com a Sandra!!

Neste momento a pessoa que estava a disposicao para explicar era bem mais clara e objetiva do que as que tentavam ajudar/coordenar a area de carimbos e afins. E foi otimo, pois em 10 minutos eu aprendi a fazer algo que ha muito tempo queria tentar.

Sanfonamos a tira de papel, usando dois templates de papelao, pois havia um detalhe no livrinho para encaixe de folhas escondidas... depois, apoiadas numa madeira, furamos as 'signatures" (especie de "minicaderninho" formado por um grupo de folhas que serao costuradas juntas)e usando uma linha grossa passada num bloco de cera, costuramos estas "signatures" dentro da capa de couro... agulha pra dentro, por fora... e o livrinho foi tomando forma, com costura aparente na lombada! Pra mim foi a gloria!

Olha a Sandra, toda concentrada, costurando o livrinho dela...

Terminado, teriamos que escolher uma palavra de 5 letras que seria gravada para nos na capa. Escolhi... meu nome, e pedi para usarem a caixa alta tbm no A final.

E foi assim, feliz da vida e por um valor acessivel para mim, que aprendi a fazer um livro costurado! Ja imaginei art journals feitos com miolos de papeis para pintura... capas em tecido... amarracao com enfeites de pedrarias... tantas possibilidades!!

Essa sou eu, feliz da vida com meu livrinho!

E nao poderia faltar uma foto minha com a San, claro!!!
Depois, em casa, fiz mais algumas fotos de detalhes:

Lombada com costura aparente

A frente do livrinho (nao fizemos no workshop o acabamento para fecha-lo, mas as sugestoes incluiam botoes, recortes no couro com amarracoes... ainda nao decidi como farei o meu)
Detalhe das "signatures" costuradas dentro da sanfona que foi costurada na capa.

Meu 'incrivel" texto datilografado!!

A mesma frase escrita de outro jeito, ja que nao havia outro jeito...

E mais uma da lombada com costura aparente.

Saimos do curso ja era mais de 9pm... o frio era intenso, e ao chegarmos a 6th Av, vimos o Empire State vermelho e cor de rosa!

(sem tripe e com zoom, tremendo de frio... nao tinha como sair boa foto )

No dia seguinte era Valentine's Day, e eu nunca tinha visto o predio daquele angulo - eh incrivel como a sua experiencia de ver o Empire State (um predio que eu adoro) muda de acordo com o ponto da cidade em que voce esta... parecia tao perto e tao enorme, as fotos nao mostram a delicia que foi ve-lo iluminado pelas cores do amor!!!

Em abril havera novo "loung e" e este estou LOUCA pra ir!! O tema: "Coptic Craze: Stitch like an Egyptian" - a tecnica coptic que ando louca pra fazer!! Espero conseguir estar la!!

Bjs e ate mais ;)