Eu e o scrap

Ando meio atrapalhada com muitos projetos novos e outros em fase final... mas não queria deixar o blog sem novos posts!!

Então, hoje vou colocar aqui como conheci o scrapbook... este post está no site Scrapbookbrasil.com, mas como é antigo ( 26/02/2004 - uau!! mais de 2 anos!!!) muita gente nunca leu.

Aí vai!! Muita coisa já mudou, mas esta era eu há dois anos!!

"Eu e o scrap...

Preciso me habituar ao estilo de comunidade, onde os assuntos podem voltar sempre...

Comecei a escrever umas 5 vezes meu depoimento, tentando ser econômica nas palavras, mas não consigo... tbm vou contar meu envolvimento com papéis e com os materias de scrap...

Bom, desde bebê adoro arte, adoro desenhar, adoro papéis, canetas, tintas, pincéis... e materiais novos. E também adoro fotografar. Meu pai sempre gostou de fotografar, também, e dele herdei o gosto pela coisa. Para ajudar, trabalhei em um estúdio fotográfico publicitário, o que me fez preocupar-me ainda mais com a qualidade das fotos que eu tirava. Ponto no capítiulo fotografia.

Paralelamente a esse meu gosto por fotografia existe uma "compulsão violenta" por materiais diferentes... foi assim qdo me inscrevi em curso de papel artesanal no MAM, foi assim qdo vi os rubber stamps há uns 13 anos em Londres - trouxe vários qdo fui visitar minha irmã pela primeira vez - e qdo vi uns primeiros furadores aqui emSPaulo - isso há uns 9 anos... comprei dois joguinhos.

Algum tempo depois descobri a loja Fun Stamps na Mello Alves... que sonho! OS mesmos carimbos de Londres, furadores mais interessantes... comprei sem ao menos imaginar onde poderia usá-los... compulsão pura!
Cheguei a trabalhar com papéis na época de solteira junto com uma amiga. Fizemos 500 álbuns de "lua-de-mel" para o Caesar Park e 50 cadernos de receitas. Usávamos papéis diferente para a época - um tal papel francês encontrado apenas em lojas de artistas, "um tal de Mi-teintes" (que eu conhecia pois trabalhava em uma agencia de publicidade)e cheguei a usar papel crepado para a capa do caderno de receitas... tudo muito diferente para a época...

Descoberto o Mi-teintes fiz muitos cartões pop up, copiados dos 10 livros japoneses que comprei na ocasião... conheci e aprendi a manejar uma XActo, criei calos nos dedos e ganhei uma bela cicatriz tbm... ... e meu pequeno estoque de materiais começou a crescer... canetas gel... furadores... carimbos... stickers... chancelas... outra Xacto... tesouras...

Há dois anos meu sogro fez aniversário e deu uma festa legal, ofereci-me para fazer os convites. Foi a desculpa pra conhecer a loja Operação Papel, relativamente perto de casa mas aonde eu nunca tinha ido por falta de tempo/oportunidade.. quase tive um "treco". Fiquei mais de uma hora só namorando os papéis, decidindo qual comprar... Comprei os mais variados tipos (a maioria continua intocada ate hoje) só pelo gosto de tê-los... e os convites fizeram o maior sucesso - eram simples e elegantes, mas o papel... um suiço "chiquérrimo", amigo do meu sogro, chegou a ligar de Fortaleza pra SP só pra saber onde ele havia mandado fazer os convites...

Cheguei a ler sobre scrapbooking há um tempo atrás (uns 5 anos) mas nem dei bola... achei tudo um (com perdão da palavra) exagero... apesar de achar interessante...

Como todos os meus amigos sabem da minha verdadeira adoração por arte e artesanato, sempre me trazem as novidades... e uma amiga viu, na casa de uma cliente, um álbum de fotografias feito com a técnica... ela se apaixonou e mandou um e-mail "Carla, vi um álbum que vc precisa conhecer"!Eu disse a ela que conhecia a técnica - na verdade, conhecia apenas a palavra scrapbooking e o que ela significava, mas não conhecia o "mundo paralelo" por trás dela... comecei levemente a pesquisar, e fomos à Vidrada em Arte, que eu conhecia por outras razões...Posso dizer que esse foi o dia em que eu realmente conheci scrapbooking (e isso foi há menos de 15 dias!)

Logo encontrei o grupo, e pra ajudar, o marido desta amiga é fotógrafo e lançou um desafio para ela - contando com as minhas 'costas quentes" para auxiliá-la, como ele diz - de montar um álbum de casamento para a sobrinha dele. Desde então estou pesquisando muito, e já imaginando o que fazer com as minhas fotos (lembram que eu disse que adoro fotografar?) São mais de 10 álbuns desses enormes para umas 300 fotos cada, mais duas caixas gigantes de fotos e mais fotos... sem contar as expostas nas paredes e nos porta-retratos. E isso tudo apenas dos meus filhos!!!!!!!!

Agora vi porque comprei tantos furadores, tantas canetinhas, tantos papéis (risos)... era o scrap que estava me esperando!!!!!!!!!!! Só preciso cuidar para não investir em scrap tudo o que eu ganhar no meu ateliê... o exercício de auto-controle tem sido muito grande, mas já me peguei dando lances em eyelets no e-bay!!!!!!!!Tenho achado este grupo o máximo, a oportunidade de conhecer materiais novos (nham, nham!! ) tem sido gigante, a simpatia é visível nas mensagens. Não vejo a hora de começar!!!!!!!!!!

Achei a história de todas o máximo (adorei a frase do marido da Ana Paula) e pra quem diz que tem duas mãos esquerdas, uma dica: dizem que os grandes gênios são canhotos... Todos têm habilidades, às vezes o que faltam são as oportunidades... e o scrap veio para que vcs façam bom uso das mãos esquerdas!!!

Beijo, Carla

(um PS: sou publicitária, trabalhei 13 anos entre agência de publicidade - a W/Brasil - e depto de mkt de empresas de telecom. Com a "quebra" deste mercado vi a oportunidade de perseguir meu sonho de trabalhar com arte... e hoje, apesar de um pouco "descapitalizada", sou muito mais feliz...)"

Como vc conheceu o scrap? Conte pra gente também!!